Pesquisa
sábado 19 agosto 2017
  • :
  • :

Em parceria com a FJM, ​”Vidas Partidas” é exibido ​em Roraima

Cerca de 500 pessoas estiveram no plenário da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) no último 17 de março, para assistir ao filme Vidas Partidas. A exibição ​foi realizada pelo Partido Socialista de Roraima e teve apoio da Fundação João Mangabeira. O evento, em homenagem ao mês das mulheres teve a participação da produtora e atriz Naura Schneider, que contracena com o ator Domingos Montagner, que morreu em 2016, um mês após o lançamento do longa-metragem .

O evento foi realizado pelo PSB-RR​, pela Coordenação da Fundação João Mangabeira em Roraima, ​ e ALE-RR com o intuito de discutir a violência doméstica e suas consequências nas famílias brasileiras. A deputada federal Maria Helena (PSB-RR) disse que fez questão de trazer a atriz ao Estado para que o público presente pudesse discutir de forma mais próxima um problema que afeta várias esferas da sociedade, independente da classe social. Ela destacou o número preocupante de casos envolvendo crimes de violência contra a mulher em Roraima e suas consequências.

“Estamos trabalhando a aprovação de um projeto na Câmara dos Deputados para que as mulheres vítimas dessa violência possam sacar o FGTS para recomeçar suas vidas. Nem sempre é fácil sair de casa, às vezes com filhos, e viver um novo momento”, destacou a deputada.

Para Naura Schneider, a violência doméstica é registrada nos lares brasileiros a cada minuto. Ela afirma que não é apenas a dependência financeira que faz com que muitas mulheres não consigam deixar seus companheiros após sem agredidas. Segundo ela, a questão psicologia e outros fatores como filhos e a família estão diretamente ligados à falta de coragem para tomar uma decisão definitiva.

“O filme retrata a realidade de uma família em que o homem é machista, possessivo e violento. Por trás de estatísticas estão mulheres que sofrem e que registram diversos boletins de ocorrência na delegacia. O tema deve ser discutidos a todo momento para mudarmos essa realidade. O filme é impactante, de verdade”, afirmou a atriz.

O acadêmico Lucas Silva disse que se surpreendeu com algumas cenas do filme. Ele citou o drama vivido pela vítima durante toda a história como a realidade nua e crua de muitos casais que moram ou trabalham conosco. “Não sabemos o que acontece entre quatro paredes. Muitas vezes uma pessoa próxima de nós está sendo vítima há anos e nem imaginamos. Tenho certeza que temática discutida aqui abriu a cabeça de muitos de nós”, pontuou.

Além de universitários de faculdades de Boa Vista, estiveram presentes na exibição do filme os presidentes dos diretórios do PSB dos municípios de Roraima; a delegada da mulher Elivânia Santos; a presidente do Tribunal Regional Eleitoral Tânia Vasconcelos; a diretora da Escola do Legislativo Elísia Martins; a advogada da Comissão da Mulher da OAB/RR Renata Alves; os vereadores Zélio Mota e Renato Queiroz; os deputados Naldo da Loteria, Lenir Rodrigues e Aurelina Medeiros, além de representantes do interior do Estado.

Bruno Perez
Jornalista




Acessibilidade