Pesquisa
quinta-feira 18 julho 2019
  • :
  • :

Diálogo Brasil, em Belém, debate a crise e o desenvolvimento humano no país

0001O ciclo Diálogo Brasil chega a quinta e última edição e provoca o debate com a região Norte do país sobre os caminhos para enfrentar a crise. Ouvir o que pensa a população brasileira e refletir sobre soluções que possam dar um novo rumo para condução política. Neste sentido, às fundações João Mangabeira, Astrojildo Pereira, Verde Herbert Daniel e as direções nacionais do PSB, PPS e PV promovem, o “Diálogo Brasil: Reflexões sobre o Brasil e os Caminhos Democráticos”. Depois de passar pelo Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste e Sul do país, agora é a vez da região Norte dar sua contribuição para um posicionamento político das bancadas no Congresso Nacional e decisões partidárias.

O debate com a sociedade acontece partir das 15 horas no auditório do Tribunal Regional do Trabalho, em Belém, com o tema “Sustentabilidade e Desenvolvimento Humano”. O evento será transmitido ao vivo pelo site www.tvjoaomangabeira.org.br e, quem estiver assistindo, também poderá interagir durante a transmissão. Desta vez os convidados especiais responsáveis em abrir o debate e provocar as discussões sobre a crise política e o risco de aprofundar a queda na qualidade de vida das pessoas são Carlos Manesck, reitor da Universidade Federal do Pará, Phifip Fearnside, climatologista e pesquisador do INPA/MCT, Luciano Rezende, prefeito de Vitória, capital do Espírito Santo e Adalberto Veríssimo, coordenador do Imazon.

Autoridades da região, especialistas em desenvolvimento social e líderes da sociedade civil completam o diálogo, junto com representantes dos segmentos sociais dialogam sobre os caminhos democráticos a enfrentar a crise de confiança nas instituições, principalmente, a crise de confiança no governo federal. O presidente da Fundação João Mangabeira e ex-governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, entende que os ciclos formam uma opinião mais consolidada sobre o grave momento político do Brasil e expõe os sentimentos da grande maioria da população brasileira. “Todas as semanas, assistimos anúncios de medidas inúteis para conter a crise. As incertezas paralisam investimentos e tomadas de decisões importantes são adiadas. O Brasil fica vulnerável. Precisamos de um novo passo e a hora é fortalecer nossa democracia. Os mecanismos sociais evoluíram, a cobrança é evidente e a incapacidade de resolver os problemas políticos e econômicos no país reflete o momento nacional”, afirma Casagrande.

Compartilhe!



Acessibilidade