Pesquisa
sábado 19 Janeiro 2019
  • :
  • :

Conselho Curador elege governador Ricardo Coutinho presidente da FJM

Ricardo Coutinho

Reunido na tarde da segunda-feira, 17, na sede do Partido Socialista Brasileiro em Brasília, o Conselho Curador da Fundação João Mangabeira(FJM) elegeu o atual governador da Paraíba, Ricardo Coutinho(PSB), para presidir a FJM de 2019 a 2021. Na mesma ocasião o Conselho efetivou o nome do ex-prefeito de Palmas(TO), Carlos Amastha(PSB) para a Diretoria de Estudos e Pesquisas da fundação.

Ricardo Coutinho e Alexandre Navarro

Estavam na reunião o presidente licenciado da FJM Renato Casagrande, os conselheiros da instituição, o atual presidente interino, Alexandre Navarro, que assumiu após licenciamento de Casagrande, o presidente do Partido Socialista Brasileiro(PSB), Carlos Siqueira, a gerente executiva da FJM Márcia Rollemberg, representantes dos segmentos partidários e o deputado federal eleito Gervásio Maia(PSB-PB).

Para Siqueira, a Fundação João Mangabeira está ficando cada vez mais importante para o PSB, visto que vários nomes de peso do partido se apresentaram para presidí-la, porém houve consenso em torno do nome do governador Ricardo Coutinho.

Renato Casagrande, Carlos Siqueira e Ricardo Coutinho

O novo presidente da FJM recebeu o cargo de Renato Casagrande, eleito governador do estado do Espírito Santo, que toma posse no próximo dia primeiro de janeiro. Durante a reunião Casagrande lembrou o trabalho que fez à frente da fundação, se disse honrado pela oportunidade de ter dirigido o braço de formação do Partido Socialista Brasileiro (PSB) pelos últimos quatro anos (2015-2018) e desejou boa sorte ao sucessor: “a FJM será presidida, nos próximos anos, pelo governador da Paraíba, Ricardo Coutinho. Temos certeza de que o governador paraibano, dará continuidade ao trabalho que foi feito e ampliará ainda mais a importância da Fundação João Mangabeira na formação política dos militantes do PSB.”

Carlos Amastha, novo diretor de Estudos e Pesquisas da FJM

Coutinho reconheceu o talento e competência de Casagrande e elogiou a serenidade com que o governador eleito do Espírito Santo conduziu a fundação, além de parabenizá-lo pela eleição ao governo, “a população reconheceu a falta que você fez, quando se reconhece a falta é muito importante”, afirmou.

O atual governador da Paraíba lembrou que nos últimos 13 anos esteve à frente de cargos executivos onde o dia-a-dia permite mais ações práticas do que formulações, “no executivo a gente formula, porém a gente tem que tocar a execução, essa experiência que eu vou poder exercer a partir de janeiro, tem muito de formulação”.

Ricardo Coutinho observou que a FJM já possui material didático importante para a formação partidária e que esse material precisa chegar às bases. O governador pretende dar visibilidade às políticas públicas criadas pelos governos do PSB, como o “Pacto pela Vida”, formulado pelo então governador de Pernambuco Eduardo Campos(falecido em 2014), trata-se de política de segurança premiada e adotada por vários governos no País. Coutinho considera que o Brasil vive atualmente um embate de conceitos, que não está refletido no debate travado nas redes sociais, “ o debate nas redes sociais é muito pautado pela violência”, afirmou, “ precisamos chegar junto de nossa juventude, de nossos segmentos pra fazer a disputa em 2020 com conteúdo”, concluiu.

Compartilhe!



Acessibilidade